P&D

Fonte: Embaixada de Israel no Brasil

http://brasilia.mfa.gov.il/mfm/web/main/document.asp?SubjectID=5816&MissionID=8&LanguageID=211&StatusID=3&DocumentID=-1

 

Pesquisa e Desenvolvimento

Atividades de P&D são realizadas em Israel sobretudo em suas sete universidades, nas dezenas de institutos de pesquisa, tanto públicos quanto governamentais, e em centenas de empresas civis e militares. Pesquisas significativas são efetuadas também em centros médicos e por várias firmas de serviço público, nos campos das telecomunicações, produção de eletricidade e energia, e administração dos recursos hídricos.

O governo e os órgãos públicos são as principais fontes orçamentárias de P&D, financiando bem mais da metade de todas as atividades no ramo. A maior parte das verbas de P&D civil destina-se ao desenvolvimento econômico, sobretudo nos setores industrial e agrícola. Comparando-se com outros países, isto representa uma fração elevada do total: mais de 40% são destinados ao progresso da ciência, através de fundos de pesquisa nacionais, binacionais ou governamentais, assim como através dos Fundos Gerais Universitários, fornecidos pelo Comitê de Planejamento e Orçamento do Conselho de Ensino Superior; o restante é destinado a vários projetos nos campos da saúde e bem-estar social.

 

Os Profissionais

O grande contingente de pessoal profissionalmente qualificado é o principal responsável pelas conquistas científicas e tecnológicas de Israel. Em 1994, 19% da mão-de-obra do país se contituía de profissionais com grau acadêmico. Ë medida que o grande número de cientistas, engenheiros e técnicos altamente especializados, chegados ao país na onda imigratória de centenas de milhares de judeus da antiga União Soviética, for se incorporando à mão-de-obra, a porcentagem vai aumentar espetacularmente, afetando significativamente o desenvolvimento científico e tecnológico do país nas próximas décadas.

 

P&D na Universidades

Como em todo o mundo, o progresso do conhecimento científico básico é o principal objetivo dos pesquisadores nas universidades de Israel. A publicação de livros e artigos assinados por israelenses, em todos os campos científicos, é a expressão básica da produção universitária; seu número, em relação ao total mundial de publicações, vem aumentando, causando um forte impacto profissional na comunidade científica mundial, conforme se pode medir pela média de citações por artigo. Em relação ao tamanho de sua mão-de-obra, Israel tem um número muito maior de estudos publicados nos campos das ciências naturais, engenharia, agricultura e medicina do que qualquer outro país; e uma boa parte das publicações do país são de co-autoria de cientistas israelenses e de outros países, muito mais do que ocorre no resto do mundo.

Com o propósito de integrar a ciência israelense na comunidade científica mundial, são estimuladas pesquisas de pós-doutorado e estágios de aperfeiçoamento no exterior, assim como a participação em conferências científicas internacionais. Vários programas de intercâmbio e projetos conjuntos são realizados a níveis institucionais, universitários e governamentais, envolvendo organizações co-irmãs no exterior. Israel é também um importante centro de congressos científicos internacionais, e mais de cem destes encontros se realizam anualmente no país.

Concomitantemente às atividades de pesquisa científica, as universidades continuam a desempenhar um papel importante e inovador nos progressos tecnológicos de Israel. O Instituto Weizmann de Ciência foi uma das primeiras instituições do mundo a criar uma organização para a utilização comercial de suas pesquisas (1958); hoje, organizações similares existem em todas as universidades israelenses. A criação de parques industriais com base científica, na vizinhança dos campus universitários foi uma iniciativa de grande sucesso comercial. As universidades também criaram indústrias subsidiárias para a comercialização de produtos específicos baseados em suas pesquisas, muitas vezes em associação com empresas comerciais locais e estrangeiras.

As universidades se dedicam também a pesquisas interdisciplinares e mantêm institutos de análise e teste, em vários campos científicos e tecnológicos vitais à indústria do país, em áreas tais como construção, transporte e educação, em seu papel de centro nacional de P&D aplicados. Além disso, várias faculdades dão assessoria às indústrias, em assuntos de caráter técnico, administrativo, financeiro e gerencial. Mais de 9% do orçamento das universidades provém de financiamento pela indústria local, seja como subvenção de pesquisa ou através de contratos; nos Estados Unidos e no Canadá esta porcentagem oscila apenas entre 6 e 7%.

 

A quantidade de patentes registradas pelas universidades de Israel é uma medida da eficácia do relacionamento entre as universidades e a indústria. Um estudo recente mostrou que as universidades são as principais detentoras de patentes, tanto nacional quanto internacionalmente, e que o volume relativo de patentes requeridas excede em muito o ostentado pelos setores de ensino superior de outros países. E mais: com relação aos investimentos em P&D, as universidades de Israel produzem mais do que o dobro de patentes das universidades norte-americanas e nove vezes mais do que as canadenses.

 

P&D na Indústria

No setor industrial civil, de rápido crescimento, os gastos com P&D aumentaram mais de 13 vezes entre 1969 e 1985, e o número de cientistas e engenheiros que se dedicam à P&D quintuplicou. A P&D industrial de Israel se caracteriza por uma alta concentração em eletrônica (67%), assim como pelo fato de que a maior parte das atividades é realizada por um pequeno número de grandes firmas. Estudos demonstraram que empresas que se dedicam intensamente à P&D são a maior fonte de crescimento de empregos e exportações industriais ao longo dos anos.

A promoção do crescimento contínuo de tais empresas, tanto grandes quanto pequenas, é o foco da estratégia de Israel no ramo industrial. O governo promove a P&D industrial através da Lei de Fomento à Pesquisa e Desenvolvimento, implementada pelo Ministério de Comércio e Indústria, mediante o gabinete do cientista-chefe que, somente em 1994, concedeu fundos a 1.270 projetos de 800 companhias. Hoje estima-se que os produtos derivados de P&D constituem mais da metade de toda a pauta de exportações industriais de Israel (excluindo diamantes).

eletrônica, que se limitava até o final dos anos 60 à produção de bens de consumo, aprofundou-se em ramos tecnológicos mais sofisticados, tanto militares quanto civis. Nas comunicações, os progressos em P&D se aplicam à digitalização, processamento, transmissão e intensificação de imagens, sons e dados. Os produtos variam desde estações telefônicas avançadas a sistemas ativados pela voz e duplicadores de linhas telefônicas.

Os ramos industriais da ótica, eletro-ótica e dos lasers têm crescido rapidamente. Israel é líder mundial em fibras óticas, em sistemas de inspeção baseados em eletro-ótica para placas de circuito impresso, em sistemas térmicos para visão noturna e em sistemas de manufaturação robôtica com base eletro-ótica.

Equipamentos computadorizados, sobretudo nos campos do software e periféricos, têm-se desenvolvido e são amplamente utilizados. Na impressão e publicação, computadores gráficos feitos em Israel e sistemas de imagem por computador são largamente usados tanto a nível doméstico quanto no exterior. Atividades educacionais nas escolas são reforçadas através de uma variedade de sistemas didáticos computadorizados, muitos dos quais foram desenvolvidos para exportação. Embora alguns dos produtos de software desenvolvidos em Israel sejam projetados para a utilização em computadores do tipo mainframe, a maioria foi desenvolvida para sistemas de pequeno e médio porte, tais como estações de trabalho computadorizadas.

Os robôs, cuja pesquisa se iniciou no final dos anos 70, são produzidos para desempenhar uma imensa variedade de funções, como lapidação de diamantes, soldagem, embalagem, construção e outras atividades industriais. A pesquisa se ocupa atualmente da aplicação de inteligência artificial em robôs.

Produtos aeronáuticos voltados para as necessidades da defesa nacional geraram um desenvolvimento tecnológico com reflexos na vida civil. O Aravá foi o primeiro avião civil produzido em Israel; a ele se seguiu o jato Westwind para diretores de empresa. Recentemente, satélites projetados e construídos no país foram produzidos e lançados pelas Indústrias Aeronáuticas de Israel em cooperação com a Agência Espacial de Israel. Além disso, Israel desenvolve, fabrica e exporta vários artigos neste campo, como painéis, computadores aeronáuticos, sistemas instrumentais e simuladores de vôo, e é líder mundial na tecnologia e produção de planadores teleguiados.

 

P&D na Agricultura

O setor agrícola baseia-se quase que inteiramente em P&D, graças à cooperação entre agricultores e pesquisadores. Os resultados das pesquisas são rapidamente transmitidos ao campo para experimentação, através de um sistema de extensão rural, sendo que os problemas são trazidos diretamente aos cientistas, para solucioná-los. A P&D agrícola é executada sobretudo pela Organização de Pesquisa Agrícola, órgão do Ministério da Agricultura. A maioria dos institutos de pesquisa agrícola de Israel mantém estreitas relações com a Organização para a Agricultura e a Alimentação (FAO) das Nações Unidas, o que garante o intercâmbio contínuo de informações com outros países.

As vacas leiteiras de Israel são, em média, as campeãs mundiais de produção de leite, e a produção média por cabeça aumentou de 6.300 l em 1970 a 10.000 l hoje em dia, graças à criação científica e aos testes genéticos executados pelo Instituto Volcani. Através da produção de esperma e óvulos de gado de raça, Israel consegue elevar o nível de seu rebanho, assim como compartilhar suas conquistas neste campo com outros países.

Os agrônomos israelenses foram os pioneiros em biotecnologia agrícola, irrigação por gotejamento, solarização (exposição ao sol) dos solos e na reciclagem de águas de esgosto para uso agrícola. Tais progressos vêm sendo aplicados na manufaturação de produtos comercializáveis, desde sementes e biopesticidas produzidos pela engenharia genética a plásticos foto-degradáveis e sistemas computadorizados para irrigação e fertilização.

A necessidade de utilizar ao máximo a pouca água existente, a terra árida e a mão-de-obra limitada levou a uma verdadeira revolução dos métodos agrícolas. A busca por técnicas de economia de água estimulou o desenvolvimento de sistemas de irrigação controlados por computador, como o método do gotejamento, que dirige o fluxo dágua diretamente à raiz da planta. Outro resultado da intensa pesquisa é a utilização do enorme reservatório subterrâneo de água salobra do Neguev, para o cultivo de safras tais como tomates de primeira qualidade, destinados aos mercados europeus e americano, durante o inverno. A pesquisa no campo do tratamento eletro-magnético da água, para melhorar a saúde dos animais e a qualidade das colheitas também vem produzindo resultados promissores.

Computadores projetados e construídos em Israel são amplamente utilizados para a coordenação das atividades agrícolas diárias, como controlar a injeção de fertilizantes e ao mesmo tempo monitorizar fatores ambientais relevantes; fornecer a ração dos animais, composta de acordo com proporções testadas de custo/produtividade; e garantir o controle de temperatura e umidade do aviário. Além disso, Israel desenvolve, fabrica e implementa uma variedade de modernos equipamentos agrícolas para arar, semear, plantar, colher, recolher, separar e empacotar.

A agricultura também se beneficia do desenvolvimento geral da pesquisa científica e da P&D, como no caso das culturas automatizadas de tecido vegetal, dos inseticidas biológicos, das sementes com alta resistência a doenças e dos fertilizantes biológicos.

 

P&D na Medicina

A contribuição de Israel à revolução biotecnológica é relevante; a infraestrutura de pesquisa médica e paramédica é altamente desenvolvida, o mesmo ocorrendo com suas instalações de pesquisa no campo da bio-engenharia. A medicina clínica e a pesquisa científica biomédica constituem os assuntos de mais da metade das publicações científicas do país. O setor industrial do país vem ampliando sua atividade neste campo, para tirar partido dos vastos conhecimentos existentes.

Os cientistas locais desenvolveram métodos para a produção de interferon, um grupo de proteínas eficaz contra infecções viróticas, além de produzir um hormônio de crescimento humano. Entre as conquistas da engenharia genética (na qual se inclui a clonagem), citam-se vários estojos de diagnóstico baseados em anticorpos monoclonais, assim como outros produtos microbiológicos.

Equipamentos médicos altamente sofisticados foram desenvolvidos e comercializados em todo o mundo, incluindo scanners para tomografia computadorizada (CT), sistemas de imagens por ressonância magnética, scanners de ultra-som, câmeras médicas nucleares e lasers cirúrgicos. Outras inovações incluem um líquido polimérico de soltura controlada que evita a acumulação da placa dentária; um dispositivo que reduz intumescências benignas e malignas da glândula prostática; o uso da botulina para a correção do estrabismo.

 

P&D em Energia

O grande desenvolvimento de fontes alternativas de energia, tais como a solar, térmica e eólica, é o lado positivo da falta de fontes convencionais de energia que o país enfrenta. Israel é líder no campo da energia solar em todos os níveis, e é o maior utilizador mundial per capita de aquecedores solares domésticos de água. Recentemente foi desenvolvido um novo receptor de alta eficiência que recolhe a luz solar concentrada, e que vai ampliar o uso da energia solar também para fins industriais.

Um progresso no campo da energia eólica foi a produção de uma turbina eólica com rotor flexível e inflamável. Também foi desenvolvida a tecnologia de utilização de água de açude com um certo grau de salinidade e composição mineral para absorver e estocar a energia solar. Usinas de energia geotérmica, capazes de extrair calor do solo e convertê-lo em vapor para acionar turbinas, estão sendo testadas atualmente. Um projeto recém-aprovado, desenvolvido por uma equipe de cientistas do Technion, usa ar seco e água (até mesmo água do mar ou salobra) para produzir energia através de chaminés de 1.000 m de altura.

 

Laços Internacionais

As relações internacionais de Israel, um aspecto dinâmico e essencial de suas atividades científicas e inovadoras, são mantidas em todos os níveis, desde organismos nacionais até o pesquisador individual. O estabelecimento de várias fundações binacionais de pesquisa foi vital para o progresso da P&D do país, com atividades que variam da pesquisa básica ao desenvolvimento industrial e à comercialização.

A Fundação Científica Binacional E.U.A – Israel (BSF), criada em 1974 para promover a pesquisa civil em campos de interesse mútuo, é financiada em proporções iguais por ambos os países. Seu orçamento atual é de 100 milhões de dólares. A BSF financia projetos de pesquisa pura e aplicada em vários campos, como antropologia, engenharia biomédica, física e ciências ambientais. Desde sua fundação, ela outorgou cerca de 2.000 subvenções, num custo total de mais de 90 milhões de dólares.

O Fundo de Pesquisa e Desenvolvimento Agrícola Binacional E.U.A.-Israel (BARD) foi estabelecido em 1977 para promover e apoiar a pesquisa e o desenvolvimento no campo da agricultura em benefício de ambos os países. As propostas de pesquisa conjunta são submetidas por pelo menos um cientista de cada país. A receita do fundo, da qual ela retira as somas para financiar novos projetos, provém de uma verba criada pelos dois países, que chega atualmente a cerca de 110 milhões de dólares.

A Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento Industrial Binacional E.U.A.-Israel (BIRD-F), a primeira instituição do tipo entre os Estados Unidos e outro país, foi criada em 1977 para estimular a cooperação entre indústrias de alta tecnologia, financiando todos os aspectos da P&D necessários para que uma invenção se torne um produto comercial, incluindo a engenharia do produto e os testes de mercado. Todos os projetos devem ser propostos em conjunto por firmas dos dois países e devem trazer benefícios a ambos. Até hoje, a BIRD-F já aprovou cerca de 200 projetos nos campos das telecomunicações, eletrônica, software/hardware e equipamento médico, levando a vendas que recentemente atingiram um bilhão de dólares. Ela é financiada por uma verba para a qual os dois países contribuem igualmente, totalizando hoje cerca de 110 milhões de dólares.

A Fundação Alemã-Israelense de Pesquisa e Desenvolvimento Científicos (GIF)  fundada em 1987 para dar apoio à pesquisa pura e aplicada em áreas de interesse mútuo. Seu capital provém em partes iguais de ambos os países e alcançou 150 milhões de marcos alemães. A GIF financia projetos selecionados de pesquisa conjunta em campos como ciências biológicas, medicina, química, física, matemática, tecnologia, agricultura e ciências sociais.





Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br