Construção Civil, Transportes e Comunicações e Turismo

Fonte: Embaixada de Israel no Brasil

http://brasilia.mfa.gov.il/mfm/web/main/document.asp?SubjectID=5812&MissionID=8&LanguageID=211&StatusID=0&DocumentID=-1

 

Construção Civil

 

Nos primeiros anos do estado, a construção de edifícios residenciais correspondia a 84% do total de obras executadas. Nos anos seguintes, esta porcentagem oscilou entre 70 e 75%, até que em 1991 elevou-se a 86%, para atender às necessidades das novas ondas de imigração. Por conseguinte, a produção do setor da construção subiu drasticamente em 1990-91. O número de unidades residenciais construídas anualmente tem flutuado desde então entre 83.000 e 33.000, tendo atingido os 62.600 em 1995. Considerada em outros tempos como uma das principais atividades econômicas - e até mesmo o barômetro da economia - a construção civil, que contribuíra com 30% do PNB em 1950, participou em 1995 com apenas 6,5%.

Embora a princípio quase todas as construções fossem resultado de iniciativa e investimento governamentais, esta proporção foi diminuindo gradualmente, de 67 a 16%, entre 1958 e 1989. Contudo, esta proporção tornou a subir (atingindo 74% em 1991), pois o setor privado não conseguiu atender à demanda criada pela repentina chegada de centenas de milhares de imigrantes. Em 1995, a contribuição do governo foi de 44%.

 

Transportes e Comunicações

 

Contribuindo com cerca de 8% do PNB, o setor de transportes e comunicações responde por 10% das exportações de bens e serviços e emprega 6% da mão-de-obra do país. 47% de sua produção é representado pelo transporte terrestre, 22% pela navegação marítima e aérea, 20% pelas comunicações e o restante por vários outros serviços, como armazenamento e estacionamento.

Em comparação com o início da década de 50, a tonelagem bruta total da frota mercante cresceu mais de dez vezes, enquanto as companhias aéreas transportam um número cem vezes maior de passageiros. No mesmo período, a quilometragem das estradas dobrou, o número de ônibus mais que triplicou e o de caminhões é dez vezes maior.

 

Turismo

 

Uns 2.530.000 turistas visitaram Israel em 1995, em contraste com 33.000 em 1950, 118.000 em 1960, 441.000 em 1970, 1.180.000 em 1980 e 1.340.000 em 1990. Eles vêm atraídos pela diversidade geográfica de Israel, seus sítios arqueológicos e religiosos, pelo sol que brilha quase o ano inteiro e pelas modernas instalações de recreação no Mediterrâneo, no Lago Kineret (mar da Galiléia), no Mar Vermelho e no Mar Morto. Quase 90% do afluxo anual de turistas vem da Europa e das Américas; os outros vêm de todo o mundo, inclusive visitantes provenientes de países árabes.

O turismo é uma importante fonte de receita em moeda estrangeira (3,1 bilhões de dólares em 1995), contribuindo com 3,5% do PNB e 10,6% do total de exportações, com um valor agregado de 85% (o que o torna o setor líder em valor agregado entre as indústrias de exportações do país). Cerca de 50.000 empregados estão diretamente envolvidos na infra-estrutura turística do país. O turismo, com seu enorme potencial, constitui um importante fator do planejamento econômico de Israel, com vistas à eliminação do déficit na balança de pagamentos.





Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br