O controle da inflação

Fonte: Embaixada de Israel no Brasil

http://brasilia.mfa.gov.il/mfm/web/main/document.asp?SubjectID=5812&MissionID=8&LanguageID=211&StatusID=0&DocumentID=-1

O Controle da Inflação

A economia sempre sofreu com o problema do aumento dos preços, mas um sistema articulado permite que os indivíduos praticamente não sofram suas conseqüências. Todas as obrigações financeiras, como salários, aluguéis, poupanças, seguros de vida, tarifas do imposto de renda, etc... foram indexadas a um valor mais estável (como a taxa de câmbio exterior ou o índice de preços ao consumidor), diminuindo os efeitos da inflação. Assim, fosse a taxa anual de inflação de um dígito (meados dos anos 50 até o final dos anos 60), dois dígitos (década dos 70) ou três dígitos (começo da década de 80), os israelenses ainda conseguiam aumentar seu padrão de vida. Obviamente, a economia em geral sofria dos efeitos da inflação (por exemplo, com a diminuição dos investimentos) - em grande parte porque a indexação a alimentava - até que a situação explodiu em meados da década de 80.

No verão de 1985, após a inflação ter subido de 191% em 1983 a 445% em 1984, ameaçando alcançar quatro dígitos em 1985, o governo implementou um programa radical de emergência visando a estabilização. A taxa de inflação caiu para 185% em 1985, oscilou entre 16 e 20% entre 1986 e 1991, e baixou a 8% em 1995.





Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br