Desafios

 

Fonte: Embaixada de Israel no Brasil 

            http://brasilia.mfa.gov.il/mfm/web/main/document.asp?SubjectID=5812&MissionID=8&LanguageID=211&StatusID=0&DocumentID=-1

 

Quatro Desafios

A mais notável conquista econômica de Israel é o fato de ter atingido uma alta taxa de desenvolvimento, embora enfrentando concomitantemente vários desafios, sumamente importantes mas de altíssimo preço:

A manutenção da segurança nacional:

Israel gasta atualmente em defesa cerca de 10% (nos anos 70 era mais de 25%) de seu PIB . Mesmo numa era de paz, Israel deve manter uma forte capacidade de dissuasão.

A absorção de grandes números de imigrantes:

A "reunião dos exilados" é a razão de ser do estado judeu. Desde seus primórdios, Israel absorveu mais de 2,5 milhões de imigrantes, ou seja, quase quatro vezes o número de judeus que viviam no país quando este se tornou independente, em 1948. Somente nos primeiros quatro anos, a população de Israel mais do que dobrou, com a chegada de 700.000 imigrantes, a maioria dos quais refugiados, tanto da Europa do pós-guerra quanto de países árabes. Na década dos 90, uma nova onda de imigrantes (cerca de 600.000, sobretudo da antiga União Soviética) acelerou o crescimento do PIB, embora tenha aumentado temporariamente o desemprego que atingiu os 11,2% em 1992, mas desceu para 6,3% em 1995.

O estabelecimento de uma infra-estrutura econômica moderna:

Embora em 1948 já existisse uma rede básica de estradas, transportes e instalações portuárias, além de sistemas de água, eletricidade e comunicações, eles não atendiam às necessidades de uma economia moderna, e enormes gastos tiveram de ser aplicados em seu desenvolvimento e expansão.

O fornecimento de serviços públicos de alto nível:

Israel é responsável pelo bem-estar de sua população, preocupando-se especialmente com os setores menos favorecidos da sociedade. Assim, uma grande porcentagem de seus recursos sempre foi usada para atender a este compromisso.


'Um Milagre Econômico'

Durante os primeiros 25 anos, a economia alcançou a notável taxa de crescimento médio anual do PNB de cerca de 10%, ao mesmo tempo que o país absorvia várias levas de imigração em massa, construía uma economia moderna, lutava em quatro guerras, e cuidava da segurança nacional. Este "milagre econômico" é largamente creditado à eficiente aplicação da ajuda econômica recebida ao longo dos anos, o que permitiu um massivo investimento de capital em meios de produção, ao sucesso do país na rápida absorção dos imigrantes e seu respectivo envolvimento nos setores produtivos. Entre 1973 e 1979, a taxa de crescimento diminuiu (conforme aconteceu na maioria dos países industrializados, em parte por causa das crises do petróleo de 1973/4 e 1979/80) para uma média anual de 3,8% e, na década de 80, declinou para 3,1%. Desde 1990, a média tem sido de 6%. Em 1995 o PIB total foi de quase 90 bilhões de dólares, (16.260 dólares per capita), um crescimento real de 24 vezes em relação a 1950.





Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br