Rato-toupeira pelado pode conter segredo para uma vida longa

Rato-toupeira pelado pode conter segredo para uma vida longa

Ele pode não ser bonito, mas o rato-toupeira pelado impressiona por sua vida longa e ativa. Os roedores apresentam 85% de similaridade genética com os seres humanos – portanto, o que quer que esteja por trás da longevidade do rato-toupeira pelado pode conter o segredo para uma vida mais longa e mais saudável para nós também. Os pesquisadores acreditam que os altos níveis de proteína de proteção cerebral deste pequeno mamífero são o segredo de sua sobrevida.

O rato-toupeira pelado é um roedor subterrâneo nativo do leste da África. Ele se destaca em comparação com o rato comum, que vive em média 3 anos, por seu tempo de vida de 10 a 30 anos. Não só isso, mas comparado com o homem, o corpo do rato-toupeira pelado mostra pouco declínio devido ao envelhecimento. Ele também mantém alta atividade, saúde óssea, capacidade reprodutiva e habilidades cognitivas durante toda a vida.

Proteína por trás da longevidade?

As pesquisadoras do , estão trabalhando juntas para determinar se os níveis atipicamente altos de NRG-1, uma proteína neuroprotetora, no rato-toupeira pelado está por trás das 3 décadas de vida do animal.

A NRG-1 está concentrada no cerebelo, a parte do encéfalo importante para o controle motor. A proteína protege a integridade dos neurônios e é essencial para um funcionamento cerebral normal.

A análise genética comparando o rato-toupeira com várias outras espécies de roedores revelou que os altos níveis de NRG-1 em adultos correlacionava-se a um tempo de vida mais longo. De todas as espécies que as pesquisadoras estudaram, o rato-toupeira tinha o suprimento mais numeroso e duradouro de proteína. Ele também mantém um nível regular durante toda a vida.

A Dra. Huchon, uma bióloga evolucionária, uniu-se ao projeto para contribuir com seus conhecimentos sobre a genética dos roedores. Ela estudou 7 espécies de roedores, incluindo porquinhos-da-índia, camundongos e ratos-toupeiras, para determinar as relações genéticas entre eles. Sua análise revelou que a correlação entre o tempo de vida e os níveis de NRG-1 era independente da linhagem evolucionária – significando que era exclusiva do rato-toupeira pelado, não sendo uma característica comum dessas outras espécies de roedores.

Pesquisas futuras

Esta descoberta é um primeiro passo importante para a compreensão de como o envelhecimento – e a proteína NRG-1 em particular – funciona nestes interessantes animais, diz a Dra. Huchon. Pesquisas futuras poderão revelar como a NRG-1 ajuda a manter a integridade dos neurônios. Isso poderá levar a descobertas sobre o envelhecimento humano.

O rato-toupeira pelado, um roedor que escava tocas e vive em colônias como as das formigas, já provou ser uma ferramenta excelente para a pesquisa biomédica e sobre o envelhecimento, pois é resistente ao câncer e mantém a integridade proteica do cérebro apesar de estar exposto a danos oxidantes, diz a Dra. Huchon.

Esta pesquisa foi publicada no periódico Aging Cell. As cientistas envolvidas são a Dra. Dorothee Huchon, do Departamento de Zoologia da Universidade de Tel Aviv, a Professora Rochelle Buffenstein, do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em San Antonio, e a Dra. Yael Edrey, do the City College of New York.

 

Fonte: No Camels





Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br