Entidades Filiadas

            Associação Israelita Brasileira

 

               

 

                 Congregação Israelita Mineira       

                                  

 

 

Missão

A Congregação Israelita Mineira é uma entidade que se propõe a manter e desenvolver as tradições judaicas, bem como estimular o espírito cívico entre os seus associados.

Nossos objetivos

 

  • Oferecer cultos religiosos em consonância com o Judaísmo Progressista.
  • Estimular e manter cada vez mais viva a formação judaica de jovens e adultos.
  • Apoiar aqueles que buscam no judaísmo uma resposta para suas questões religiosas.
  • Promover atividades de caráter religioso, cultural e social.
  • Organizar e manter serviços de assistência social.
  • Colaborar, sempre que possível, nas atividades da comunidade judaica e da sociedade civil.
  • Manter e incrementar o relacionamento com as demais religiões, através do diálogo e do respeito às diferenças de cada credo, visando a coexistência fraternal e harmônica.

 

Nossas atividades

 

  • Serviços religiosos regulares de Shabat às sextas-feiras e aos sábados.
  • Serviços religiosos e atividades culturais e recreativas nas Festas Judaicas.
  • Apoio espiritual a doentes, enlutados e aconselhamento rabínico.
  • Celebração do ciclo da vida judaica: Brit-Milá, Brit-Lebat, Bar e Bat-Mitsvá, casamentos e enterros.
  • Cursos de Bar-Mitsvá, Bat-Mitsvá, Pensamento e Tradições Judaicas e História, Teologia Judaica, Talmud, Liturgia judaica, Chassidismo e Cabala.
  • Atividades para crianças no Shabat e nas Festas Judaicas.
  • Visita a creches e liderança dos serviços religiosos com a ajuda de jovens pós Bar/Bat-Mitsvá.
  • Encontros para universitários e jovens profissionais.
  • Atividades para pessoas da terceira idade da comunidade.
  • Boletim Nishmá, trazendo cultura judaica, informações sobre o Judaísmo Progressista e agenda social.
  • Coral de músicas litúrgicas e folclóricas judaicas
  • Capacitação e treinamento de líderes de oração.
  • Fundo de Tsedacá, Banco de alimentos e farmácia comunitária para carentes.
  • Diálogo inter-religioso – encontros e atividades com pessoas de outros credos.

 

                            Escola Theodor Herzl          

 

 

              

                
Missão da Escola

Formar o indíviduo valorizando suas potencialidades, respeitando seus limites, tornando-o assim, cidadão construtor e crítico do mundo atento às suas transformações e compreendendo suas causas, tendo sempre os valores judaicos como norteadores da formação deste sujeito.

Proposta da Escola Theodor Herzl

A proposta pedagógica da Escola Theodor Herzl pensa a educação integralmente buscando formar sujeitos autônomos, cooperativos, que formulem conceitos partindo dos conhecimentos apreendidos. Pensamos na formação global do aluno, sempre valorizando todas as expressões científicas, artísticas, religiosas e culturais.


Entendemos como marco prioritário o respeito a individualidade e, para trabalharmos desta forma, mantemos turmas pequenas fortalecendo a expressão e o espaço de cada um.


Procuramos estabelecer relações sinceras e comprometidas onde cada um é responsável e participante do processo ensino aprendizagem, bem como, do espaço físico e social da nossa escola.

Histórico

Em 1961, nascia em Belo Horizonte, um novo espaço judaico, a Escola Theodor Herzl.
Este espaço que hoje temos, doado pelo Sr. Samuel Schor Z´L, foi construído do sonho de algumas famílias que se mobilizaram para que seus filhos tivessem uma educação judaica, não se esquecendo de atualizá-la sempre sobre a realidade de nossa cidade, do país e do mundo. O objetivo é a formação do indivíduo como um todo, tornando-o assim, construtor e crítico do mundo.


Passados 50 anos da concretização deste sonho temos certeza que o objetivo inicial foi alcançado, hoje temos os filhos dos nossos primeiros alunos aqui, e isto representa a história do povo judeu, que deve ser passada de geração em geração. O que nos diferencia das outras escolas é o fato de sermos comunitária, onde a responsabilidade e o compromisso com a educação se vêem aumentados.
Na escola, desde os primeiros momentos transmitimos para os nosso alunos os valores permanentes e profundos do judaísmo, formadores de uma personalidade sadia e uma moral extremamente humanista. Esses valores e essa moral se destacam e se enriquecem quando colocados lado a lado com aqueles vivenciados com a sociedade na qual nos inserimos. 

 

 

                                Habonim Dror 

 

 

               

 

O Habonim Dror no Brasil surgiu da inquietude ideológica de jovens que não aceitavam a situação da comunidade judaica aristocrata que existia no Brasil. Uma fusão de muitos movimentos alicerçados nos pensamentos de diversos ideólogos sionistas como A.D. Gordon, Borochov, Sirkin, Achad Haam. Estes movimentos originaram-se na Europa no início do século. Freheit, Gordônia, Hechalutz Hatzair, Habonim.

Seguindo o processo histórico, alguns fatores causaram a fusão destes movimentos através do tempo, sendo que em 1981 aqui no Brasil surgiu o Habonim Dror, fruto da ligação do Dror com o Ichud Habonim.

No Brasil, desde de 1945, o primeiro snif do Dror, foi fundado em Porto Alegre, sob a influência do movimento Freheit da Argentina, que por sua vez formou-se de jovens praticantes do mesmo na Polônia que imigraram para a Argentina. Rapidamente, espalharam-se outros três snifim até 1948 Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro e alguns anos mais tarde outros três snifim em Recife, Salvador e Belo Horizonte.

Eles desempenharam nesta época um papel fundamental na educação e preparação de jovens judeus que se realizaram através de uma aliá chalutziana kibutziana, contribuindo assim, para a construção, fortalecimento, criação e desenvolvimento do Estado de Israel.

O Habonim Dror está filiado ao movimento trabalhista de Israel, compartilhando de seus princípios e fins como por exemplo o apoio ao processo de paz, o pluralismo em nossa religião etc.

Hoje em dia presente em todos os continentes nos seguintes países Israel, Brasil, África do Sul, Alemanha, Argentina, Australia, Bélgica, Canada, Croácia, EUA, França, Holanda, Hungria, Nova Zelândia, México, Roménia, Suécia, Turquia, Ucrânia, Uruguai, Zimbabue.

O Habonim Dror educa e mantém em sua base ideológica, os valores e a importância de uma aliá kibutziana chalutziana, aparecendo esta como uma realização pessoal para seus chaverim que optarem por este caminho. Tendo sua estrutura baseada nos moldes da sociedade kibutziana.

O Habonim Dror vê como uma de suas prioridades, transmitir uma educação judaica e a luta contra a assimilação nas diversas comunidades da diáspora. Dentre as fases da vida de um chanich em nosso Movimento, este vive em um ambiente de coletividade, companheirismo, igualdade e respeito mútuo, aprendendo a valorizar e respeitar a liberdade do ser humano. Todos esses fatores com base em tradições cultura e história de nosso povo, propiciando assim um ambiente judaico formando jovens críticos, grandes líderes comunitários e/ou futuros israelenses.

 

 

Instituto Histórico Israelita Mineira

 

 

 

Em 1983, sob a direção do Dr. Naftale Katz e da Professora Maria Romano Schreiber, um pequeno grupo de pessoas da comunidade israelita mineira deu início à elaboração de um projeto de trabalho de recuperação da memória das famílias judaicas mineiras. Um grande número destas, emigrantes da Europa e do Oriente Médio no início do século XX, tangidos pelas condições adversas de suas terras de origem, vieram fixar-se em Belo Horizonte, a nova capital do Estado de Minas Gerais.


Várias perguntas se impunham: De que países vieram? Porque emigraram? Em que circunstâncias se instalaram no Estado e na nova capital? Como conseguiram esses imigrantes, em terra cuja língua e costumes desconheciam, iniciar desde logo o seu trabalho para garantir a sobrevivência e educar ou até conduzi-los a uma condição segura e até destacada no panorama empresarial, intelectual e científico?

Responder a estas e outras perguntas, reconstituindo a história da comunidade desde os seus primeiros dias em Belo Horizonte, foi a tarefa a que se lançou o pequeno grupo. Mesmo sem instalações próprias, sem recursos humanos e financeiros adequados, foram elaborados questionários, realizadas entrevistas, encontros, reuniões e, lenta e laboriosamente, foi sendo recolhido material compreendendo depoimentos gravados, documentos, fotografias e filmes que de alguma forma servissem para a formação do pequeno mas precioso acervo que o IHIM já pode apresentar aos interessados, devidamente organizados e classificados.

Ao mesmo tempo, o IHIM cuidou de realizar um trabalho junto à comunidade mineira em geral, promovendo cursos e seminários de história e cultura judaica, bem como conferências sobre temas os mais variados, sempre com o objetivo de tornar conhecidas as ricas tradições e a cultura do nosso povo, compreendendo uma atividade de divulgação cultural sem precedentes na história da comunidade israelita mineira.

O Instituto Histórico Israelita Mineiro, fundado em 15 de janeiro de 1984, é uma sociedade civil de caráter cultural e científico, sem fins lucrativos. É mantido pela Federação Israelita do Estado de Minas Gerais e através de contribuições de sócios.

A finalidade do IHIM é cultuar a memória dos judeus radicados em Minas Gerais e no Brasil, promovendo pesquisas históricas, palestras, exposições, exibição de fotos e filmes, mantendo arquivo, biblioteca, videoteca, hemeroteca, fitoteca e museu abertos aos sócios e outros interessados.

Gradativamente vem-se transformando no braço cultural da Federação, realizando atividades não abrangidas pelas demais entidades a ela afiliadas.

Diretoria do IHIM

A Diretoria do Instituto Histórico Israelita Mineiro trabalha voluntariamente visando divulgar aspectos da cultura judaica em geral e preservar a memória dos judeus radicados em Minas Gerais e no Brasil. Promovem-se pesquisas históricas, cursos, palestras, exposições, exibição de fotos e filmes e mantêm-se arquivo, biblioteca, videoteca, hemeroteca, fitoteca e museu abertos aos sócios e outros interessados do público em geral.

Através das reuniões periódicas da Diretoria, são discutidos a programação de eventos, a melhoria das instalações da sede da instituição, o aprimoramento dos serviços oferecidos, a elaboração de projetos e a discussão de assuntos relativos ao IHIM.

                                                                    

NA'AMAT PIONEIRAS

 

    

Quem somos 

 


A Na´Amat Pioneiras é um movimento de mulheres trabalhadoras e voluntárias.
Foi fundada em 1921 como Moetzet Hapoalot por mulheres idealistas que acreditavam na justiça social, na igualdade de oportunidades, na vida em cooperativa e na divisão de responsabilidade.

Hoje, como maior movimento de mulheres em Israel, representando judias, mulçumanas, cristãs, drusas e cherquesianas, Na´Amat continua focalizando seus esforços em melhorar a posição da mulher em todo país.

Existem várias organizações irmãs da Na´Amat em 14 países no exterior, junto com Israel que trabalham e cooperam para alcançar metas e encontrar soluções para problemas comuns de todas mulheres sem diferenciar antecedentes culturais ou étnicos, credo ou origens geográficas.

Na´Amat vem se esforçando para que as mulheres de nossa comunidade se envolvam no trabalho comunitário sionista, ampliando a sua atuação junto às famílias jovens e conscientizando a todos para os reais valores comunitários e nossa efetiva ligação com Israel.

Executivo Nacional Brasil Na´Amat Pioneiras

Órgão Encarregado de zelar pela continuidade dos princípios ideológicos da organização, divulgando as atividades de Na´Amat – Israel.

Em 1960, com a visita da Chaverá Chana Levinson a Belo Horizonte, foram convocadas algumas senhoras de nosso Ishuv para a Primeira Reunião. Assim nasceu um novo grupo.


               Sociedade Amigos do Beit Chabad      

             


Quem Somos

O Beit Chabad em Belo Horizonte, ja desenvolve suas atividades há 20 anos.
Em 1986, o Rebbe de Lubavitch de Abençoada Memória enviou o casal Rabino Nissim e Rivka Katri que junto com um filho de 2 meses, iniciaram seu trabalho numa comunidade judaica com poucos conhecidos e com certa desconfiança. Com muita perseverança e receptividade aos poucos foram conseguindo cativar as pessoas e desenvolver suas atividades.

Desde 1989, fundaram a Oficina de Teatro e Artes do Beit Chabad, onde desenvolveram um projeto pioneiro e alternativo de educação judaica. Temos como objetivo que nossos correligionários mantenham sua identidade judaica atraves da observância dos preceitos e do estudo de nossa Torá Sagrada, revelando o fundamento profundo e o conteúdo belo que nela contém.

Desde maio de 2000, estamos oficiando nossos serviços religiosos e orações em nossa sede do Beit Chabad.

Nossa Oficina

A Oficina de Teatro e Artes do Beit Chabad, é uma proposta pioneira e alternativa de educacao judaica que nasceu da necessidade de mostrar o judaísmo com uma roupagem mais moderna e chamativa que incentivassem pais e filhos a estudar judaísmo num horário suplementar ao estudo tradicional das escolas.

Além dos resultados maravilhosos obtidos no aprendizado do judaísmo, nossos alunos nos surpreenderam no desenvolvimento da expressão tanto coloquial, quanto corporal, a tal ponto, que alguns de nossos alunos já terem participado de elencos infantis de filmes e de propagandas de televisão.

Com o passar dos anos, temos incorporado o aprendizado de judaísmo e hebraico tradicional com a diretora Rivka Katri, obtendo resultados expressivos na alfabetização em hebraico mesmo na mais tenra idade das crianças e na leitura e condução delas nas orações. 

 

União Israelita de Belo Horizonte 

 


 

   

  A União Israelita de Belo Horizonte é uma entidade sem fins lucrativos criada para apoiar e propagar a identidade judaica, através de atividades religiosas, esportivas, sociais e culturais.            

 

No desenvolvimento de todas as suas atividades, a UNIÃO difunde os princípios fundamentais dos direitos humanos, da paz, da fraternidade entre povos, e da justiça social, agindo sempre em absoluta coerência com as tradições democráticas do povo brasileiro.

 

 Atividades físicas oferecidas a todo público:

 

NATAÇÃO: Aulas elaboradas conforme o nível do aluno, trabalha coordenação, resistência,  velocidade e técnica.

 

NATAÇÃO INFANTIL: Através de aulas lúdicas e recreativas, a natação contribui para formação cognitiva, emocional, social, físico e motor da criança.

 

HIDROGINÁSTICA: Uma atividade de baixo impacto que trabalha todo o corpo, enrijece, fortalece e queima muitas calorias através da resistência oferecida pela água.

 

KRAV MAGÁ: Uma filosofia criada para atender à necessidade de defesa contra a  violência do dia-a-dia do mundo moderno, acessível a todas as pessoas, independente do seu tipo físico, sexo ou idade.

 

KRAV MAGÁ INFANTIL: Turmas especiais para crianças a partir de 06 anos com Professor especializado.

 

HATHA YOGA: Na prática da Yoga consegue-se alcançar uma harmonia que se reflete na boa saúde e no bem estar do corpo, da mente e do espírito.

 

PILATES: Melhora a qualidade de vida, diminui estresse e ansiedade, fortalecimento muscular e melhora da flexibilidade, postura, consciência corporal e equilíbrio.  

                          

                                     WIZO 

 

                                                    

Histórico

Fundada em 1920, na Inglaterra, é uma organização não governamental e apartidária. É a única organização de mulheres judias que possui voz deliberativa junto ao Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, em Nova York, também com representações em Genebra e Viena.

É um movimento feminino moderno e dinâmico, que hoje atua em 50 países. Tem como finalidade o trabalho junto à parcela menos favorecida da sociedade, buscando integrá-la à Comunidade, por meio de obras sociais, educacionais e na área de saúde.

As federações Wizo de todo o mundo cooperam estreitamente com outras organizações de mulheres em seus próprios países e estão representadas em todos os órgãos nacionais e internacionais que se ocupam de assuntos femininos, estando as federações européias filiadas ao Conselho da Europa e ao Hobby Feminino do Parlamento Europeu.

A Wizo em Israel está diretamente envolvida com o bem estar social, a educação e integração de todos os povos, indepente da raça ou religião dentro da sociedade israelense.

A Wizo no Brasil é uma corrente na vida judaica brasileira. Um movimento de mulheres ativistas, dedicadas à sua herança judaica. Uma ponte que fortalece os elos culturais e espirituais entre Brasil e Israel. Um centro de atividades culturais, sociais e educacionais.

Em Belo Horizonte, a Wizo procura manter o equilíbrio entre o trabalho beneficiente, o conhecimento e a difusão ampla da cultura e tradições judaicas.

Como instituição judaica, preocupa-se em ser conhecida e respeitada em vários segmentos sociais, mantendo, para tanto, um diálogo aberto, cordial e permanente com entidades culturais mineiras, mediante ajuda mútua e intercâmbio efetido, em preconceitos.

Belo Horizonte conta sua História

Instalada em 22 de outubro de 1945, durante visita de Gemma Camerini, a Wizo mineira tornou-se indissoluvelmente ligada à história da coletividade judaica mineira, quando Geolá Bogliolo Z´L, Judith Avritzer Z´L e Sthella Ferey, suas fundadoras, decidiram dedicar-se a um trabalho que nunca mais abandonariam.

Incansáveis e criativas, elas trilharam todos os caminhos conhecidos do ativismo feminino e improvisaram outros, recolhendo e costurando roupas e agasalhos; organizando bazares; celebrando com brilho e alegria as festas judaicas; preparando almoços e jantares; fazendo performances teatrais, eventos artísticos e culturais.

Em 1948 formou-se o grupo juvenil Bola de Neve, originalmente composto pelas jovens Flora Grinberg, Nina Wisemberg, Chai Cohen, Eva Cohen e Bertha Lerman. Importantes ativistas formaram-se no Bola de Neve.

Atendendo às expectativas da comunidade maior, Flora Grimberg Lerman assumiu a responsabilidade de repassar medicamentos, gêneros e roupas usadas para instituições beneficientes e hospitais, com o Hospital das Clínicas da U.F.M.G. e o Hospital Mário Penna, trabalho compartilhado que ajudou a Wizo a tornar-se conhecida e respeitada na cidade.

A partir do estabelecimento do Estado de Israel, o departamento de Cultura, dirigido secessivamente por Geolá Bogliolo, Aviva Avritzer, Maria Schreiber e Esther Carvalho, vem realizando um trabalho de divulgação da cultura e das tradições judaicas que constitui uma referência comunitária. Merece destaque o sucesso e a divulgação merecidamente alcançados pelo Simpósio "500 Anos da Descoberta da América, 500 Anos da Expulsão dos Judeus da Espanha", realizados na PUC/MG, no trancurso do Sefarad 92, com participação dos professores Nachman Falbel e Maria José de Queiroz. Importantíssima também é a atuação de Aviva Avritzer como palestrante sobre a História judaica Antiga e Contemporânea, dentro e fora da comunidade.

Desde 1945 até o presente, dirigiram a Wizo mineira: Geolá Bogliolo Z´L, Judith Avritzer Z´L, Bertha Kignel Z´L, Malvina Kuperman Z´L, Ida Blas Z´L, Maria Schreiber Z`L, Lisa Mayer Z`L, Rosa Landsberg Z`L, Aviva Avritzer, Esther Carvalho, Esther Sternick, Ida Scheinkman, Esther Cahen Kac, Lisa Maier Z`L e Elisabeth Bronfen, com decidido e fraterno apoio das demais chaverot, unidas e empenhadas no sucesso da Campanha da Criança, avant-premiéres cinematográficas, lançamentos de livros, festivais de culinária, cestas simbólicas, vendas de cartões de Shaná-Lová, vendas da Boutique Wizo e, eventualmente, desfiles de modas e jóias.

As exposições de Mesas Festivas Judaicas, com palestras elucidativas, seguidas de chá com buffet típico, as tradicionais jornadas Bíblicas e conferências sobre feiras da atividade, são alguns empreendimentos de sucesso.





Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br