Notícias
ORIENTE MÉDIO - Israel explica ação de defesa em Gaza

Carta publicada hoje no Jornal Estado de Minas 

ORIENTE MÉDIO - Israel explica ação de defesa em Gaza

Alon Levi
Primeiro-secretário da Embaixada 
de Israel no Brasil
Brasília

“Em relação à charge publicada hoje (ontem) no Estado de Minas, intitulada ‘Cessar-fogo em Gaza’, Israel nunca quis esse conflito na Faixa de Gaza ou qualquer outro confronto. No entanto, cerca de um milhão de cidadãos israelenses que residem no Sul do país estavam sob fogo constante e diário devido às atividades da organização terrorista Hamas na região. 
Nos quatro dias que antecederam a operação Pilar de Defesa, o Hamas lançou 121 foguetes Fajr 5 contra esses civis. Desde 2007, quando o Hamas assumiu o controle da Faixa de Gaza, mais de 5,2 mil foguetes e morteiros atingiram Israel. Diante da ameaça mortal permanente, que afeta dramaticamente a rotina de seus cidadãos, Israel usou o seu direito de autodefesa.Nenhum Estado pode se submeter a uma realidade que inclui constantes ataques terroristas. O principal objetivo da operação Pilar de Defesa era cessar os disparos de foguetes do Hamas e impedir que outras organizações terroristas atacassem o país no futuro. 
A Força de Defesa de Israel fez um grande esforço para minimizar os danos a civis, aconselhando – com transmissões por televisão, telefonemas, envio de mensagens de texto e distribuição de folhetos – que civis ficassem longe de terroristas e suas infraestruturas, os únicos alvos da operação. 
Israel lamenta profundamente qualquer dano causado a civis, e considera a morte de cidadãos inocentes uma tragédia. No entanto, também considera responsabilidade do Hamas qualquer dano causado a um residente de Gaza. Foram o Hamas e outras organizações terroristas que usaram civis como escudos humanos, colocando bases terroristas, lojas de armas e lançadores de foguetes perto de casas, escolas, mesquitas e hospitais. 
As ações do Hamas foram deliberadas, pois sabem que Israel seria considerado culpado por vítimas palestinas, ajudando assim os seus esforços de propaganda. 
Na realidade, de acordo com o direito internacional, aqueles que usam civis como escudos humanos têm a responsabilidade primária pelo seu destino. O Hamas está cometendo um crime de guerra. No entanto, quando essa organização terrorista não é censurada por suas atividades criminosas, mas Israel é condenado por agir em autodefesa, os terroristas são encorajados a continuarem suas ações abomináveis.”



Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br