Notícias
Israel Verde: Trabalhando com o Brasil e com o Mundo pela Sustentabilidade

Israel Verde: Trabalhando com o Brasil e com o Mundo pela Sustentabilidade

Israel é reconhecido no mundo pela sua experiência e vasto conhecimento no campo da sustentabilidade, em temas como água, agricultura, produção de alimentos, reflorestamento, desertificação, entre outros. Estes são alguns dos tópicos que serão discutidos na Rio+20 e Israel é um exemplo de sucesso em todos estes temas.

A região desértica de Israel recebe apenas 30 milímetros de chuva ao ano. Mesmo assim, com a pouca água que tem, o país venceu a escassez, pintou de verde o deserto e é copiado mundialmente nas suas técnicas agrícolas sustentáveis.

Desde a década de 1960 Israel contribui para o desenvolvimento da agricultura do semi-árido, por meio da difusão de técnicas de irrigação em regiões do nordeste brasileiro. É o caso da Netafim, empresa israelense que, após ter vencido uma licitação no Ceará, trabalha nos projetos de irrigação Baixo Acaraú e Tabuleiro de Russa. Mais de 1 mil hectares serão irrigados por meio do sistema de gotejamento, trazendo inúmeros benefícios para a região, como geração de empregos e renda e mais oportunidades de negócios. A experiência com essa técnica poderá servir de referência para a Bahia, que também pretende utilizar o sistema de gotejamento.   

      

A utilização correta e econômica dos recursos hídricos é uma preocupação constante dos israelenses. Tel Aviv, por exemplo, reutiliza 100% da água que vai para o esgoto e, após os devidos tratamentos, a água reciclada chega ao deserto para irrigar plantações. A central de tratamento Shafdan, além de reciclar a água produz adubo com o lixo orgânico produzido pela população.

A central de tratamento Shafdan

Mas também existem outras formas de aproveitar todos os recursos hídricos. Uma delas é a construção de reservatórios que coletam a água da chuva, utilizada durante a seca na agricultura. Outra é a dessalinização. A cidade de Ashkelon, em Israel, abriga a maior usina de dessalinização do mundo e o país produz cerca de 300 milhões de metros cúbicos anuais, suficientes para abastecer quase metade do país a um custo cada vez mais acessível. Numa época em os recursos hídricos são cada vez mais escassos, esta técnica pode ser utilizada em todo o mundo.

Já na agricultura, Israel consegue produzir alimentos para pelo menos 90% de sua população, e ainda gera excedentes para a exportação. Além da irrigação, para obter este sucesso o país também conta com uma alta tecnologia de fertilização e consegue produzir cada vez mais em menos espaço.

 Israel possui um programa de cooperação internacional para saúde e agricultura nos países em desenvolvimento. O Mashav, programa de cooperação internacional do Ministério das Relações Exteriores, passou a atuar na África na década de 1950, com o envio de especialistas israelenses nestas áreas que instruíam os agentes locais com experiências e conhecimentos. Desde 1967 o programa atua, também, junto aos países latinoamericanos. Atualmente, está presente também em países da Ásia (incluindo os países islâmicos que mantêm relações diplomáticas com Israel) e, também, nos Territórios Palestinos, onde atua com consultoria, transferência de tecnologias agrícolas e projetos conjuntos.

Israel também pinta o deserto de verde, plantando árvores em pleno deserto. O Keren Kayemet LeIsrael (KKL) – Fundo Judaico Nacional, uma organização não governamental fundada em 1901, investe desde o preparo do solo para plantio de árvores, construção de reservatórios de água, criação de novos povoados, infra-estrutura e estradas, até o investimento em pesquisas agrícolas de alto nível tecnológico.  Ao longo destes mais de 100 anos, o KKL consolidou-se como um líder global na preservação do meio ambiente, através do plantio de 240 milhões de árvores, construção de mais de 200 reservatórios e açudes, desenvolvimento de mais de 250.000 acres de terra, criação de mais de 1.000 parques, fornecendo infra-estrutura para mais de 1.000 comunidades e trazendo vida ao deserto do Negev.

 A Assembleia-Geral da ONU adotou uma proposta israelense para uma resolução sobre "tecnologias de desenvolvimento agrícola", a fim de fornecer uma solução para os desafios globais decorrentes da pobreza e da crise alimentar. Além disso, no ano passado, Israel organizou uma reunião preparatória internacional, antecipando a Conferência, e abordou a agricultura verde e o desenvolvimento sustentável para erradicar a pobreza e a fome no mundo. Delegados de 28 países participaram. O subsecretário da ONU, Sha Zukang, observou em seu discurso e em reuniões com líderes israelenses, a contribuição de Israel para o mundo nessas áreas e pediu que o país participasse da Rio+20 para compartilhar sua experiência e expertise.

 Israel atribui grande importância à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. A vinda ao Brasil da delegação israelense demonstra a importância que Israel atribui à promoção do desenvolvimento sustentável em Israel e na arena internacional. Israel está cada vez mais verde e tem muito a contribuir para o mundo e a Rio+20.



Redes Sociais
Rua Rio Grande do Norte, nº477 – Funcionários - Belo Horizonte - MG | CEP: 30130-130
Telefone: (31) 3224-6673 | e-mail: fisemg@fisemg.com.br